domingo, 18 de janeiro de 2009

Investir em crise abre a porta pula do avião


Seattle - Aterrorizado pelas perdas que provocou aos seus clientes no Heritage Wealth Management Inc., uma firma de Indiana, nos Estados Unidos, o gerente de investimentos Marcus Schrenker, 38 anos, abriu a porta no seu mono-motor e pulou para a eternidade num pântano no Estado de Alabama, no sul do país. Schrenker, rico, bonito, acrobata e esportista, um homem que ficou milionário sendo o que se chama aqui de "babá de milionário", cometeu sucessivos erros que, pelo que se viu até agora, deram um prejuízo de US$ 2 milhões aos seus clientes. Depois que ficou pobre, até a sua mulher o deixou entrando com um pedido milionário de divórcio. A saída foi a morte.
Tudo parecia ser mais um caso de suicídio nos recessivos tempos que estamos vivendo até que a Força Aérea americana relatou que foi chamada a socorrer um piloto que tinha quebrado do pára-brisa do avião e que, segundo o chamado, "estava sangrando profundamente". Ao chegarem perto do mono-motor Piper PA-46, ainda a dois mil pés de altitude, descobriram que a cabine estava vazia e que a porta lateral estava semiaberta. Seguiram o avião até que ele se espatifou num mangue ao sul do Alabama. Dentro, nenhum sinal de sangue.
Foi aí que descobriram que Marcus Schrenker queria mesmo é desaparecer e reaparecer, daqui a algum tempo, mas com outra identidade. Sem dívidas financeiras, aporrinhações da esposa e outras contrariedades que só quem está vivo sabe, ele queria uma segunda chance. No entanto, Polícia, FBI, Força Aérea e toda a mídia cheiraram a notícia e começaram a seguí-lo. Descobriram uma fita de vídeo de um motel onde ele aparece ainda carregando o pára-quedas e entrando no quarto. Entrevistado pela política, o gerente disse que Schrenker alegava que tinha tido um acidente de canoa no rio. Mais tarde, descobriu-se que ele tinha guardado uma motocicleta (uma Yamaha vermelha) num local próximo e, como no filme Easy Rider, já tinha colocado o pé na estrada.
Na quinta-feira passada, o xerife Frank Chiumento descobriu o moço escondido num acampamento em Quincy, na Flórida. Schrenker estava meio desacordado depois de cortar o pulso esquerdo numa nova tentativa - esta real - de suicídio para se livrar dos problemas. O problema é que, mais uma vez, ele não tinha morrido. Pego em flagrante num país onde o maior pecado é a mentira, o investidor agora vai seguir a Via Crucis dos tribunais. Um juiz já terminou o congelamento de todos os seus bens, de forma que os interesses dos investidores sejam no mínimo garantidos.
Quando viu todo o alvoroço na TV, sua mulher, Michelle, voltou atrás e disse que quer ajudar o pai de seus três filhos a voltar à vida normal. "Ele é apenas uma vítima das circunstâncias", disse através de seu advogado". Para quem está de fora, e pelas informações obtidas até agora pela imprensa, Schrenker não cometeu crime algum depois que recebeu um email um dia antes do vôo com um texto que o ameaçava (não se sabe como). Promotores entrevistados pela TV, no entanto, dizem que sua prisão é apenas uma questão de tempo. Atrás das grades, ele terá mais tempo para pensar no que fez e, como quer sua esposa, se reconciliar com a vida.
Postar um comentário